ORDEM DO DIA: Dia da Aviação de Asas Rotativas

Data é comemorada no dia 03 de fevereiro

Brasília, 3 de fevereiro de 2017.


Bravos combatentes da Aviação de Asas Rotativas!

A humanidade já havia alçado voo com o mais pesado que o ar através da genialidade do brasileiro Alberto Santos-Dumont. Mas ainda faltava algo. Dominar completamente os ares significava materializar o sonho do gênio renascentista Leonardo da Vinci, quem primeiro idealizou uma máquina com capacidade de voo vertical e de voo pairado. Instigados por esse grandioso desafio, a mente inventiva e o trabalho incansável de outros gênios conceberam o que conhecemos hoje como aeronave de asas rotativas: o helicóptero.

Versátil e flexível, capaz de cumprir diversas missões no campo de batalha, o helicóptero esteve presente como máquina de guerra e com destacado desempenho em todos os principais conflitos bélicos, desde seus primeiros voos até os dias atuais. Guerra da Coréia, Argélia, Yom Kippur, Vietnã, Afeganistão, Golfo e Síria são exemplos de embates marcados com a presença do helicóptero, em ações de Reconhecimento Aéreo, Busca e Salvamento em Combate, Ataque e Supressão de Defesa Aérea Inimiga.

Com efeito, a história mostra reiteradamente que nenhuma Força que se pretenda letal e moderna pode prescindir desse vetor. Dotado de armamento frontal, o helicóptero apresenta-se como aquele que perpetuará o combate durante um conflito, já que não depende necessariamente de maiores suportes logísticos. Ademais, tal capacidade de operar a partir de pontos remotos de abastecimento e remuniciamento permite o adequado aumento do raio de ação da Força.

Assim, seja em voos NOE, explorando as características do relevo e com grande capacidade furtiva; seja operando em locais com pouca infraestrutura e mínimo apoio de solo; o helicóptero cumpriu e cumprirá missões de dia e à noite, fortemente armado, invisível à detecção radar, sob condições meteorológicas adversas, desdobrado em áreas remotas, através de surtidas rápidas e sucessivas, constituindo-se em um importante meio de nossa Força Aérea.

Por isso, muito nos orgulha as modernas e recentes aquisições de H-36 Caracal, AH-2 Sabre e H-60L Black Hawk, os quais, aliados ao eficiente H-50 Esquilo e ao lendário H-1H, elevam nossa Força a um patamar de destaque no cenário internacional, o que faz jus às demandas do nosso imenso Brasil.

É nesse contexto que celebramos o 3 de fevereiro de 1964 e os feitos heroicos dos então 1º Ten Av Ércio Braga, 1º Ten Av Milton Naranjo, 3º Sgt João Martins Capela Junior e 3º Sgt Wilibaldo Moreira Santos. Naquele dia, esses combatentes, que cumpriam Missão de Paz da ONU na República do Congo, resgataram, com um helicóptero H-19, tripulantes e missionários prestes a serem capturados por rebeldes fortemente armados.


Essa missão real de Busca e Salvamento em Combate cunhou esta data como o Dia da Aviação de Asas Rotativas da FAB, por seu legado de bravura, desprendimento e espírito guerreiro, marcas indeléveis dessa Aviação.

É sob essa inspiração que seguimos voando, combatendo, vencendo e progredindo operacionalmente. A ativação das Alas, parcela importante do programa de reestruturação da Força Aérea, possibilitará um grande avanço operacional em nossas Unidades táticas, de forma a assegurar que o preparo e o emprego de nossas equipagens e vetores espelhem nosso compromisso de cumprir a missão da Aeronáutica: manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da pátria.

Meus comandados!

Uma Força Aérea moderna e capaz não se conquista da noite para o dia. Requer muito trabalho, estudo, dedicação, treinamento, compromisso e apego inegociáveis aos valores de coragem, lealdade, honra, dever e devoção à Pátria. Cada um dos senhores e das senhoras que voam e fazem voar nossos helicópteros contribui para que assim seja. Vocês são o elo mais forte e, por isso mesmo, mais importante desse complexo sistema que une homem, máquinas, processos e organizações, com o fito de defender os interesses da Nação.

Por fim e em homenagem a todos os que fizeram e fazem parte da operação de nossos rotores, assevero que o brilho no olhar, a chama viva no coração não nos permitem duvidar que estamos diante dos melhores combatentes que nossa gloriosa Força Aérea poderia ter.

AOS ROTORES !! O SABRE !!!


Tenente-Brigadeiro do Ar ANTONIO CARLOS EGITO DO AMARAL
Comandante de Preparo


Fonte: FAB

Comentários

Postagens mais visitadas